Diário da Manhã

LIXO VII

Uma das formas de convencimento é a persistência. E é exatamente isso que tenho feito com relação ao tratamento com o lixo. Podemos fixar o tema no recolhimento e destinação do lixo domiciliar. Deixemos o tratamento relativo ao industrial para outro dia. Comecemos pelo comportamento das pessoas em geral. Jogar lixo na rua, sem qualquer cerimônia, é bastante comum. Isso demonstra a incultura de um povo. A Capital Nacional de Literatura não é diferente de outras cidades. Tem lixões clandestinos e a coleta pública é deficiente. Outros resíduos sequer são coletados. Ficam na rua, nos riachos e rios ou nos terrenos baldios.

O vidro não está sendo recolhido para reciclagem. A indústria quer o vidro moído e puro. E ninguém vai fazer isso em casa. Colocamos na lixeira e fica lá, sem destinação alguma. ONDE VAMOS COLOCAR O VIDRO PARA RECICLAGEM? Esta é a primeira de muitas perguntas.

A coleta e destinação do óleo de cozinha estão sendo realizadas? Não. Raros são os casos de reaproveitamento desse resíduo. E sabem onde ele vai parar? Lá no rio, na barragem. Sabem de onde vem a água que bebemos? Dos rios e barragens. Depois de um ciclo relativamente curto, podemos estar bebendo esse óleo.  É uma pergunta para o poder público: quem coleta o óleo vegetal, depois de utilizado? Será que não é possível fazer a coleta pública desse resíduo?

As garrafas pet ainda poluem os nossos rios. Se elas podem ser recicladas e têm valor comercial, porque elas não são coletadas integralmente? Acho que seria o momento adequado para voltarmos ao velho sistema: garrafas retornáveis. Elas são de vidro, mais higiênicas e saudáveis. E podem ser reutilizadas. As pessoas que jogam essas garrafas pet na rua devem saber que elas acabarão nos rios, riachos e barragens. É a lei da gravidade. O vento e a chuva ajudam a acelerar esse processo. UM  POVO CULTO NÃO TEM OS RIOS POLUÍDOS DESSA MANEIRA. Lembrem das enchentes e do lixo. Logo vamos esquecer.

Também não temos coleta adequada de pneus, baterias de celulares, lâmpadas fluorescentes queimadas e pilhas comuns. Sei que não é novidade escrever ou falar sobre esse tema. Todavia, essa falta de prudência com o lixo afeta gravemente a nossa saúde. Ainda tem mais.

Nosso bairro não tem containers para recolher o lixo. Temos de esperar o caminhão aparecer três vezes por semana. Quando tem feriado nos dias pares da semana, ficamos sem o recolhimento de lixo. Também não temos pessoas para o recolhimento do papelão. O caminhão não recolhe papelão, latinha ou garrafas pet. Como não temos catadores, esse material acaba na rua. O QUE FAZEMOS AGORA? Estou levando papelão para o centro. ONDE COLOCO O LIXO ORGÂNICO?  POR ISSO O TRATAMENTO DO LIXO É CULTURA. E TAMBÉM É SINAL DO CUIDADO QUE TEMOS COM A SAÚDE DE TODOS.

Comentários

Galerias de Fotos

Anuncie Aqui

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
VCP - PFB Azul 08:45:00 Passo Fundo segunda a sábado
VCP - PFB Azul 17:40:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 23:15:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 20:35:00 Passo Fundo sábados
PFB - VCP Azul 06:00:00 Campinas - SP todos os dias
PFB - VCP Azul 10:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos domingos
PFB - VCP Azul 19:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos sábados
FLN - PFB Azul 16:15:00 Passo Fundo Segundas, sextas e domingos
PFB - FLN Azul 18:20:00 Florianópolis Segundas, sextas e domingos

Baixe o Aplicativo do Jornal

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027