Geral

Momento de reconstrução nas cidades mais atingidas

Autor: Matheus Moraes
Momento de reconstrução nas cidades mais atingidas
Foto Divulgação

No primeiro dia após temporal e tornados no Norte gaúcho, municípios auxiliam famílias e ajudam na retomada de residências

O atendimento às famílias atingidas com o temporal que destruiu milhares de residências na região Norte do Rio Grande do Sul foi pauta no Governo do Estado nessa quarta-feira. O socorro aos municípios atingidos foi trabalhado de maneira integrada entre secretarias e também a Defesa Civil do Estado e das cidades. De acordo com levantamento da Defesa Civil nessa quarta-feira (13), o número de municípios e residências atingidas pelos temporais na região Norte do Rio Grande do Sul, na última terça-feira, subiu para 26 e 2.780, respectivamente. O dado de famílias desabrigadas continuou o mesmo, com dez registros. Aumentou, também, a relação de famílias desalojadas, para 29. Além disso, dois óbitos já haviam sido mencionados ainda na terça-feira, nos municípios de Ciríaco e Sarandi.
Um dia após todo o temporal e os tornados, em pontos localizados, a movimentação foi de acompanhamento às famílias prejudicadas. Em reunião com o governador José Ivo Sartori, o coordenador da Defesa Civil Estadual, Alexandre Martins, relatou que foram emitidos alertas a praticamente todo o Rio Grande do Sul. As ocorrências, diversas com granizo e vendavais, culminaram com residências destruídas e a variação brusca de temperatura. “Nessa primeira fase, a prioridade é a vida das pessoas. Já tínhamos mobilizado o atendimento humanitário, com lonas nas regiões mais atingidas e o remanejamento de outras regiões, sempre com agilidade. Estamos com estoques baixos de alimentos e roupas. Por isso, nosso apelo à população para doações à Campanha do Agasalho”, declara.

A reportagem do Jornal Diário da Manhã entrou em contato com os departamentos responsáveis pelos municípios mais atingidos na região Norte para um panorama do primeiro dia de mobilização para reconstruir as residências atingidas.

Ciríaco

Em Ciríaco, foram distribuídas lonas na manhã dessa quarta-feira. Além disso, uma equipe social, com voluntários, arrecada alimentos, colchões e cobertores no Salão Paroquial da cidade. De acordo com o vice-prefeito de Ciríaco, Odacir de Mello, grande parte da cidade já estava com energia elétrica restabelecida. “A luz já voltou em quase toda a totalidade. A água também está voltando”, declarou no fim da manhã de quarta-feira. Ao todo, são mais de cem residências que foram atingidas em Ciríaco, além de galpões que foram ao chão. “As secretarias continuam trabalhando para auxiliar as famílias que acabaram perdendo suas casas”, conta o vice-prefeito. A família da vítima fatal da cidade, José de Arquiles, é amparada pelo poder público municipal. Segundo o vice-prefeito, o homem morava sozinho na área rural. A família, por sua vez, morava na área urbana do município. “Estamos dando todo apoio necessário para eles. Falamos hoje com o sobrinho dele. Está tudo certo”, completa Mello.

Em Água Santa, onde mais de 50 residências foram atingidas, na área rural da cidade, a comunidade ainda sofre com a falta de energia elétrica e de água em algumas localidades. De acordo com a Prefeitura, a administração deu suporte de água com o auxílio de um caminhão tanque e do Corpo de Bombeiros. Ao todo, são cerca de 100 famílias sem água e energia, em razão de que a fiação elétrica da região foi atingida. As escolas continuam com as atividades normais, visto que os temporais atingiram apenas a área rural da cidade. No entanto, alguns professores que tiveram suas residências atingidas não trabalham nestes primeiros dias de reconstrução.

Na tarde dessa quarta-feira, a Prefeitura de Água Santa comunicou que, em razão das demandas geradas, o município necessitava de mais pessoas para realizar trabalho voluntário na data. Em contato com o prefeito de Água Santa, Jacir Miorando, a reportagem foi informada que o comércio da cidade contribui com valores acessíveis de materiais para a reconstrução de residências. “Eles se colocaram à disposição para receber algum valor em dinheiro e poder ajudar a reconstruir as casas, facilitando na venda de materiais”, comenta. Segundo o administrador municipal, a região de Água Santa foi afetada de maneira gradativa com os temporais. Por isso, ele acredita que a reconstrução demorará mais tempo que o estimado. “Vai mais dias para reconstruir tudo e voltar ao trabalho normal. Achávamos que seria menos, mas ainda teremos dias de trabalho pela frente. Estamos dando suporte, mas ainda tem muita coisa para se fazer”, declara. Nessa quarta-feira, a comunidade também trabalhava na limpeza das áreas rurais, sobretudo com recolhimento de animais mortos em função da destruição de aviários.

Coxilha

Em Coxilha, cerca de 30 famílias foram atingidas, de acordo com a Defesa Civil do município. Nessa quarta-feira, foi alterado o decreto de situação de emergência para tornado, após solicitação da Defesa Civil do Estado, em razão do que foi caracterizado pelos institutos meteorológicos. “Estamos contabilizando os prejuízos e atendendo os prazos para dar encaminhamento para a Defesa Civil, para obter o reconhecimento da situação em nível de Estado e União”, explica o representante da Defesa Civil de Coxilha, Ivan Tamanho.

Segundo Ivan, os levantamentos de prejuízos começaram a ser contabilizados ainda na quarta-feira. “Estamos fazendo esse trabalho de campo, em parceria com a Emater. Estamos atendendo as necessidades mais urgentes, com o fornecimento de telhas”, completa o representante. Em razão da destruição das torres de água na cidade, as comunidades de Rio do Peixe e Engenho da Água foram reparadas na noite de terça-feira e na quarta-feira. “É uma estrutura muito alta. Precisamos colocar um caminhão guincho para poder elevar a caixa em cima da torre”, acrescenta Ivan.

Arrecadações em Passo Fundo

Uma campanha de arrecadação no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) busca reunir alimentos não-perecíveis, produtos de limpeza e de higiene pessoal para ajudar as famílias atingidas na região. A entrega dos materiais deve ser feita na portaria dos funcionários do HSVP.

A Arquidiocese de Passo Fundo, em conjunto com o Fundo de Solidariedade e Cáritas Arquidiocesana (FDS), convoca a comunidade para realizar doações em caráter de emergência numa coleta específica no fim de semana (16 e 17 de junho). As doações podem ser feitas pela conta da Caixa Econômica Federal; Conta corrente: 1788-7, Operação: 003, Agência: 1593, em nome de Cáritas Arquidiocesana de Passo Fundo.

Até o fechamento dessa edição, a reportagem não conseguiu contato com a administração de Sarandi.

Comentários

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
VCP - PFB Azul 08:45:00 Passo Fundo segunda a sábado
VCP - PFB Azul 17:40:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 23:15:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 20:35:00 Passo Fundo sábados
PFB - VCP Azul 06:00:00 Campinas - SP todos os dias
PFB - VCP Azul 10:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos domingos
PFB - VCP Azul 19:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos sábados
FLN - PFB Azul 16:15:00 Passo Fundo Segundas, sextas e domingos
PFB - FLN Azul 18:20:00 Florianópolis Segundas, sextas e domingos

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027